Case 2014

Sebrae

START-UP BRASIL ACELERA O EMPREENDEDORISMO

Público-alvo OPERAÇÃO E TRAÇÃO

A Start-Up Brasil tem como objetivo alavancar a aceleração de startups de base tecnológica, colocando no mercado local e internacional produtos e serviços inovadores conectando empresas com tendências e mercados globais. Por meio de uma parceria entre o Governo e a iniciativa privada, o programa pretende contribuir para a geração de um ecossistema favorável ao empreendedorismo de base tecnológica. Todas as suas atividades focam duas fases de negócio por excelência: OPERAÇÃO E TRAÇÃO.

Para complementar a ação das aceleradoras neste processo, o Start-Up Brasil oferece também benefícios como acesso às melhores aceleradoras do Brasil, até R$ 200 mil em bolsas de pesquisa, desenvolvimento e inovação na modalidade DTC para profissionais indicados pelas startups,visto de pesquisador com duração de 12 meses para profissionais estrangeiros, espaço de trabalho no Vale do Silício para startups apoiadas pelo Start-Up Brasil, evento de apresentação de startups para investidores realizados no Brasil e no exterior e eventos que envolvem capacitação, networking e mentoria.

A primeira turma iniciou-se em setembro de 2013 e hoje já são 94 apoiadas pelo programa entre eles setores como educação, varejo, transporte, TI, eventos, turismo e finanças. Já os modelos adotados são predominantemente, SaaS, marketplaces, ampla base de clientes, aplicativo de celular, e-commerce, equipamentos e hardware.

Alguns pré-requisitos são necessários como ser empresas brasileiras ou internacionais com até 4 anos de constituição, que desenvolvam solução inovadora utilizando software, hardware ou serviços de TI como componente-chave desta solução. Em um período de até 12 meses, as startups têm acesso a até R$ 200 mil em bolsas de pesquisa e desenvolvimento para os seus profissionais, além de participar de uma série de eventos e atividades promovidas pelo programa para capacitação e aproximação de clientes e investidores e do Hub Internacional no Vale do Silício/EUA. Adicionalmente, as startups recebem investimentos financeiros das aceleradoras e têm acesso a serviços como infraestrutura, mentorias e capacitações em troca de um percentual de participação acionária. Além das aceleradoras, as empresas também são acompanhadas pelos gestores do programa.

O Start-Up Brasil integra o TI Maior, Programa Estratégico de Software e Serviços de TI, que por sua vez é uma das ações da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI), que elege as TICs entre os programas prioritários para impulsionar a economia brasileira. Hoje são 15 aceleradoras privadas qualificadas para apoiar as empresas com infraesturtura, mentorias, serviços e investimentos adicionais de R$ 20 mil a R$ 200 mil por empresa (em troca de participação acionária).

Os interessados se inscrevem no formulário online e passam por um processo seletivo com um juri, representantes do governo, academia e mercado, altamente especializado que deverá julgar o mérito dos projetos. No momento da inscrição a startup deverá indicar a aceleradora, até 6, de que deseja apoio. Após a divulgação de resultados, é feito um matching das startups selecionadas com as aceleradoras que deve durar até 60 dias. Dá-se então o inicio do processo de aceleração e liberação dos recursos.